Buscar
  • Marcela Picanço

Todo dia amor

Atualizado: 9 de Dez de 2020

Há dois anos eu morria de medo de ter qualquer certeza. Tudo que era definitivo me apavorava, inclusive o amor. Eu sempre quis ser livre, mas você me ensinou que dá pra ser totalmente livre mesmo se sentido parte do outro.

E hoje eu sei, de um jeito muito louco, que você se infiltrou em todos os meus espaços que ninguém soube acessar. Que você confundiu aquilo que já era lógico demais e me transbordou porque era mais do que eu esperava. Todos os dias você é mais do que eu espero.

E agora suas conquistas são minhas também e minhas manhãs são suas. E a estrada de repente ficou fácil.  O dia que eu te salvei de cair no céu, foi o mesmo dia que você me salvou de cair em mim e me espatifar em pedacinhos por causa na minha certeza idiota de que amar não vale a pena.

E eu estava muito confortável comigo. Eu me sentia confusa até você chegar e me mostrar aos poucos que se apaixonar não precisa mesmo ter sentido nenhum, por mais que eu tente dar sentido a isso todos os dias para fixar meus pés no chão.

Dá pra inventar uma vida inteira junto com você e eu quero acreditar que somos imortais. Eu achava que me bastava, mas você é o universo que faltava em mim.


Imagem via saatchiart.com




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A resposta que eu procurava

Eu sempre tive muito medo da vida real. Tinha medo de não conseguir me sustentar sozinha no Rio, tinha medo de viver uma vida vazia, de não conseguir me encontrar, de não ser capaz, de decepcionar. Le