Buscar
  • Marcela Picanço

O próximo passo depois da cura



Eu tava pensando em todos os fatores que me ajudaram na minha transição para autônoma. E apesar de todos os mergulhos de autoconhecimento, meditação, desbloqueio de crenças e reprogramação mental, teve uma coisa que fez toda diferença: trabalho voluntário.


Enquanto eu ainda trabalhava em uma empresa durante a quarentena do ano passado, me propus a fazer um trabalho de marketing digital gratuito para quem não tinha dinheiro e nem conhecimento para crescer seu negocio.


Muita gente me procurou, eu ajudei muita gente, às vezes só para orientar mesmo. E isso me mostrou que eu seria capaz e que eu tinha experiencia suficiente pra trabalhar dessa forma.


E hoje me deu um estalo. Quando ajudamos genuinamente, com nosso coração, reverberamos positivamente numa escala gigantesca e aí sim o fluxo de abundância se abre.


E eu só consegui ajudar dessa forma, porque eu estava bem comigo, cuidando da minha energia, por isso pude me doar com tanto amor. Claro que não precisamos estar 100% para ajudar e combater injustiças.


Mas quando cuidamos da nossa energia e estamos vibrando em alta frequência, damos o próximo passo, que é oferecer essa energia em forma de doação: de tempo, de amor, de dinheiro, de atenção.


Vibrar em alta frequência não tem nada a ver com se isolar do mundo. Muito pelo contrário. Agora, o seu único dever é servir. Estamos todos aqui para servir. E quando estamos alinhados, criamos formas criativas e inovadoras de fazer isso.


Pense nisso: cuidar de você é necessário para você conseguir cuidar do mundo.


Quando estamos em paz, conseguimos transformar nossa mágoa em ação. Conseguimos construir sem peso. Quando nos curamos, o próximo passo é curar os outros.


E depois você entende que curar os outros faz parte do seu processo de cura também.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A resposta que eu procurava

Eu sempre tive muito medo da vida real. Tinha medo de não conseguir me sustentar sozinha no Rio, tinha medo de viver uma vida vazia, de não conseguir me encontrar, de não ser capaz, de decepcionar. Le