Sempre tive aquela dificuldade de falar não para as pessoas. ‘Não, eu não quero’ ou
‘Não, eu não vou’. Sempre deixava no ar aquele programa ou uma resposta vaga que ficava
subentendido que talvez eu fosse aparecer. E até então, isso sempre foi natural para mim.
Mas, acabava me enrolando toda, porque aí me comprometia com um trabalho ou um evento para ir e depois não conseguia falar não e acabava indo contra a minha real vontade.

Ficava com medo de falar não e acabar decepcionando ou chateando o outro, provavelmente meu ascendente em câncer falando mais alto.

Até que um dia, estava conversando com uma aluna minha antes da aula de yoga e
comentando sobre essa dificuldade em falar não e me expressar de forma verdadeira em
momentos como estes. E, é claro, que o universo nos presenteia com pessoas maravilhosas
que trazem as respostas para aquilo que precisamos para poder enxergar as coisas de outra forma.

Ela falou o seguinte: ‘ Ju, por que você não experimenta dizer sim para o que você quer
ao invés de dizer não para os outros?’. Na hora eu nem entendi direito essa frase, até porque parecia a mesma coisa de trás pra frente, mesmo assim, isso ficou martelando na minha cabeça durante toda a semana como um mantra.

Então, fui percebendo que ao fazer uma escolha em dizer sim para mim, passei a
observar o que meu coração queria e ficar em paz com aquilo que desejava. Coisas do tipo:
‘sim, eu prefiro ficar em casa sozinha do que inventar de sair com um cara’ ou ‘ sim, eu prefiro dormir cedo para aproveitar o dia seguinte do que sair à noite’.

Esse exercício foi se estendendo para escolhas cotidianas e acredito que faça parte também até do meu próprio processo de maturidade. Sem ir muito além, vou dando espaço para essa pessoa que quer brotar dentro de mim, aceitando quem sou e aprendendo a respeitar o sim do outro também.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ju Vasconcelos
Amante da natureza, arquiteta e terapeuta holística. Tem uma alma que viaja nas escalas do universo, sempre mergulhada no mar das emoções e enraizada no caminho do autoconhecimento.