Ela foi obrigada a crescer e, nesse processo, precisou se tornar mais forte,
endurecendo seu coração e alma no meio do caminho. Não me entenda mal, ela
não deixou de sentir ou amar, só precisou se resguardar, enquanto a vida a
obrigava a amadurecer.

Ela percebeu que cresceu quando se viu obrigada a parar de chorar, a seguir em
frente, mesmo com feridas não cicatrizadas, que ainda batiam forte em seu
peito. Apesar da vontade de nunca mais olhar para trás, ela percebeu que para
que fosse possível recomeçar, ela precisaria enfrentar o passado e remover o que
passou, mesmo que seu coração ainda sangrasse, às vezes.

Durante esse processo, ela se livrou de muitas coisas: dos falsos amigos, dos
amores que só faziam mal, dos sentimentos que corroíam sua paz, das
decepções de quem um dia ela amou, daquela parte da família que só tirava sua
paz e tentou, com o seu melhor, deixar o coração limpo, livre dos males do
mundo.

Enfrentou, de cabeça erguida, todos os medos que habitavam seu coração. Se
livrou de cada um deles e descobriu que a vida trazia outras opções, além de
estagná-la para sempre em um destino cheio de amargura.

Seu coração, ao fim do processo, parecia um lugar mais leve para se viver, sua
mente agora estava habitável. Quanto mais leve ela ficava, mais alto voava, mais
forte se tornava. Todo aquele mal que ela guardara, havia se tornado um grande
nada na sua vida, trazendo coisas novas e felizes ao seu ser.

Também aprendeu a dizer NÃO!
A sua vida não deveria de servir de lixeira para as mentes infelizes, para os
corações carrancudos. E apesar de ter esvaziado seu coração, ele ainda poderia
transbordar de bondade e que está tudo bem se ela escolher dizer sim também.
Sim para os amores verdadeiros, para os amigos que só querem o bem – ela
descobriu que eles ainda existem em algum universo paralelo mágico e
alcançável – para os novos e confusos sonhos.

Apesar de saber que é bem difícil confiar em alguém hoje em dia, ela descobriu
que é possível. É possível limpar seu coração e perdoar os que fazem mau uso do
amor e da confiança e até sentir pena deles. É possível encontrar pessoas tão
puras quanto ela. Pessoas que acreditam, que amam sem medo, que estão
sempre dispostas a ajudar, sem pedir nada em troca.

Ao crescer, ela aprendeu que a vida tem um propósito e que amadurecer não é
se endurecer e se fechar para o mundo. Amadurecer é só mais uma das
descobertas do que é lindo na vida.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Grazielle Vieira
Uma mineira morando no Rio, tentando por em ordem a desordem da vida com palavras. , é advogada, mas se encontra na escrita, nas músicas da Taylor Swift e, não importa o que aconteça, Friends sempre a faz se sentir melhor. Além do próprio blog, o Vigor Frágil, escreve nos blogs Me Apaixonei, Que Me Transborde, O que Sinto em Palavras, Jornalismo de Boteco, O Amor é Brega, Vanessa Pérola e De Repente dá Certo. Já escreveu com nomes como Isabela Freitas e Jey Leonardo.